quinta-feira, 17 de julho de 2014

Falta o closet ou whatever

A Te, gosta de escrever e de partilhar com o mundo o que a faz mais e menos feliz e tem um blog em forma de laboratório, Ratinho de Laboratório! Gosto de acompanhar o diário da Te sobre as suas lutas diárias, porque me inspira e me faz refletir sobre as minhas!

Destralhar tem sido a palavra do meu ano 2014. É um processo, vou fazendo, destralhando, organizando, umas vezes fico doida, faço umas pausas mais ou menos prolongadas, mas não desisti nem desisto! A verdade é que já saíram sacos e mais sacos de coisas para doação, lixo e reciclagem.
Tenho feito isso aos poucos.
Por categorias (roupa, calçado, papelada, cozinha, móveis, exteriores).
Já fiz muito, falta fazer ainda muito.
"Herdei" a tarefa de destralhar as minhas coisas, claro, as do filho, as da mãe e as do pai. A casa da mãe. A casa do pai.
Coisas são objectos, assuntos, gestão.

Continuando o assunto deste post, destralhar ainda mais a minha roupa!

Depois dos vários destralhes da minha roupa, calculo que ainda terei 10% de coisas para sair da minha casa e da minha vida. Porque não gosto e não visto.
Não tenho flutuações de peso, por isso tudo me serve, sou assim desde sempre, nem mais gorda, nem mais magra.
Fiquei com demasiada roupa. Porque em tempos comprei demasiada roupa. Porque quero mudar o meu estilo de vida, ou seja ter menos pertences, considero que tenho demasiada roupa, mesmo depois de destralhar, destralhar, destralhar.
As peças que tenho são simples, "clássicas", as cores e padrões matchi-matchi, simples e discretos. Tenho imensas peças básicas, roupa interior, pijamas,... de tudo!
Por exemplo, fiquei sem malas e sacos para ir trabalhar porque dei tudo, já não gostava ou estava farta. Comprei agora duas malas para ir trabalhar, a única que tinha estragou-se. São simples, a cor dá com tudo, para todas as estações do ano, está feito!
Também não tenho t-shirts ou tops brancos porque se estragaram. Quero comprar apenas no próximo verão. Para gastar o que tenho noutras cores.
Leggins de ganga estão a precisar de reforma, estou a contar substitui-las nestes saldos.
Sapatos, a minha perdição, dei imensos, fiquei com poucos (conceito relativo, está claro!), estou a evitar comprar, mas preciso para ir trabalhar (o desgraçado do dress code!). Bonitos e confortáveis. Saltos altos já não consigo usar. Desabituei-me e agora não me venham dizer que se anda bem em cima de não-sei-quantos-centímetros, porque não é verdade!

The problem is...

O quarto até é grande. Tenho pouca arrumação para muita coisa. Preciso de um closet. Gosto de espaços amplos e com poucos móveis. Mais vazios. Não tenho uma divisão que possa destinar para o closet. Sou pão-duro. Não quero investir em mais coisas. Mais móveis. Mais armários. Mais pertences. Mais consumo.

A casa onde vivo é "uma casa muito engraçada", tem tecto, não tem muitas coisas grandes. Neste momento estou na sala. Não tenho aparador, armários, móveis. Tenho uma mesa grande e 6 cadeiras. Um sofá grande. Uma televisão. um móvel pequenino de verga com o telefone. A lareira. Um tapete. Apenas 4 prateleiras junto da lareira.
É uma casa rustica, recuperada do antigo, com tectos em madeira. Não precisa de muito para parecer acolhedora e habitada. Tem é pouca arrumação... that's my problem...

Tenho de perceber que gosto de roupa e de variar, não gosto de muitos móveis em casa. Continuar a destralhar para manter só aquilo que gosto e está bom. Falta o closet! Ou encontrar um equilíbrio entre coisas que tenho e espaço para as arrumar.

Obrigada Te, pelo teu post e pelas tuas sugestões!