terça-feira, 29 de julho de 2014

Recortes das revistas de decoração

Foi muito difícil deixar ir as revistas de decoração, levei meses, vai, não vai, vai , não vai. Finalmente um dia, naturalmente, quase sem sofrimento, levei-as para a reciclagem. Isto é um exemplo de apego material, que não tenho com a maioria dos objetos que possuo, mas que tinha com as revistas e ainda tenho com a roupa. Estou a referir-me a roupa nova e atual (peças velhas ou desatualizadas não sinto apego, vai para o lixo ou dou), porém imensa roupa, muito mais para além das minhas necessidades e desejos. Entenda-se necessidade, não andar nua, e desejo, gostar de variar os modelitos.
Antes de deixar ir as revistas de decoração, vi algumas e fiquei com alguns recortes. Uns já foram para o lixo, um dia em que já estava farta do assunto destralhar revistas. Os restantes, tirei uma foto e tiveram o mesmo final: lixo!

 
Tenho um sofá castanho, idêntico a este. A cor é escura, torna a sala escura, já estou cansada do sofá e procuro soluções para dar mais vida ao sofá e à sala. Almofadas beges e um cobertor no mesmo tom contrasta com o sofá e está em equilíbrio com o resto da divisão em tons da natureza, tons terra. A minha sala é estilo rústico, bege do cortinado e tapete, madeiras castanhas, tetos em madeira. Estes tons tem uma coisa boa, não me chateiam e não me cansam.

 
O meu quarto também sofre do mesmo problema, demasiado castanho escuro dos móveis. Comprei uma colcha bege que faz toda a diferença. Mais leve e luminoso.


 
No inverno, posso conjugar diversos tons bege nas várias camadas da cama. Eu sou muito friorenta e no inverno tenho 2 edredons e um cobertor. Estou no campo e sem aquecimento, justifica-se, sim encalorados?

 
Gostei muito desta solução, castanho escuro e verde. No entanto, teria de investir em muitas coisas novas (cortinados, candeeiro, almofadas, ou outros pequenos ou grandes apontamentos em verde). Comprar é exatamente o contrário daquilo que quero agora. Quero ter menos coisas e não é a  comprar que chego ao meu objetivo de reduzir o número de objetos.
Reparei que depois dos tons terra, o verde é a cor que mais gosto e utilizo na decoração.

 
Adorei esta imagem. Faz-me sonhar. Leva-me para longe. Viajar. Tem tudo o que mais gosto: mar, uma paisagem deslumbrante, aqueles ilhéus para explorar (fui muito feliz nas Berlengas e em Porto Covo e na ilha do Pessegueiro), uma cama linda para me dedicar à preguiça e... 

 
... reparem, uma piscina, que no meu imaginário é de água do mar! Querem melhor do que isto?!